Quinta-feira, 30 de Agosto de 2007

...

ESTE BLOG ACABOU.

PEÇO DESCULPA ÁS PESSOAS QE O VISITAVAM...

Mas nao faria sentrido continuar pk akilo q m fazia escreve-lo acabou tambem.

Criei um novo, cm os meus novos ideais. Falem cmg q eu dou o novo link.

 

 

Espero q o meu amor por ti acabe também...

 

Adeus e obrigado pelos coments...

Publicado por Leticia às 13:45

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Domingo, 26 de Agosto de 2007

Lá do alto...

Voltei…
A passo apressado para um lugar desconhecido.
A chave rodou, escancarou a porta e deixou o vento entrar. Subi as escadas que gemiam como se um espinho se lhes espetasse a cada passo.
Lá, no alto de tudo, deixei-me estar.
O por do sol, mais alto que eu, engoliu-me sem dó algum.
A garganta apertou. Engoli em seco. As lágrimas baptizaram o vestido gasto do meu armário, sem feitio definido. Uma mescla de sombras, linhas que um dia foram de carvão e agora são apenas linhas negras…
O som deixou de segredar palavras harmoniosas ao meu ouvido e passou a ser apenas barulho. A luz já não fulgura, simplesmente iluminava como se fosse somente a sua obrigação.
E o céu caiu como um tecto em ruínas.
Era tarde… Mas quem se importava com as horas?
Tenho frio... Mas quem quer saber?
A parede transpira o calor que me falta. A mágoa abraça-me como o quente do cobertor da minha mãe.
Até o sol foge de mim. Até o sol abraça a lua por momentos. Até ele encontrou tempo para abraçar alguém.
Aquele alto só me pede para cair, para sentir o vento nos cabelos, talvez no chão encontre alguém que queira fazer parte deste teatro… Do teatro dos meus dias em que só me apetece gritar, rasgar, arrancar…
Caí…
A cabeça, que dorme sobre os joelhos só pensa no vazio, mas não o consegue alcançar… Pensa nas nuvens que cobrem os meus olhos. Pensa no choro frio que todas as noites me visita. No tempo em que estou assim, sozinha sem ninguém que se preocupe como me resgatar desta solidão. Estou assim, como uma semente ao vento sem saber qual a terra mais fértil, qual a mão mais laboriosa, qual a agua mais farta. Sem saber…
Sem saber que não preciso de nada nem de ninguém, que eu mesma e eu somos capazes de ser felizes.
Mas o dia final chegou e é hoje.
Não vou mais subir a escada, nem me sentar neste chão gélido. Ele não vai mais ranger na minha presença. Não vou mais querer saber da tua ausência. Nunca mais.
O sol voltou do seu esconderijo, trouxe a lua consigo. Disseram preocupar-se. Deram-me a luz que fulgurava e não apenas ilumina. Deram-me a força para vencer sozinha. Eu própria me preocupo com o meu frio, com o estar tarde ou não. O vestido secou, os olhos também. O sorriso começou a desenhar-se muito vagarosamente. E a vontade de viver e provar que sou capaz sobrepôs-se a tudo resto. Quero agora somente agarrar-me a vida. Tentei correr de novo pelo campo, sentir a relva fresca nos meus pés torturados e o cheiro do verão em mim, mas a pernas não mais me obedeceram.
Era tarde de mais, já tinha caído…
Voltei a chorar…
Sinto-me: Foi tudo em vão...
Publicado por Leticia às 10:05

link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 22 de Agosto de 2007

O rio...

O calor pairava sobre a cidade como um manto de morte.

O rio, porém, apesar de fluir tão devagar, dava ainda assim a sensação de movimento e transmitia a melancolia da fugacidade das coisas. Tudo passava mas onde estavam os vestígios dessa passagem?

Parecia que todos os que compunham a sociedade eram gotas de água daquele rio. Continuavam a fluir, a dançar, cada um tão perto dos outros e ao mesmo tempo tão longe, num fluxo sem nome, rumo ao mar.

Quando tudo durava tão pouco e nada tinha importância, era uma pena que as pessoas dando valor a objectos triviais , poluíssem a sua gota e fizessem de si tão infelizes. Porque a maior distância é entre duas pessoas...

Publicado por Leticia às 12:25

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 20 de Agosto de 2007

Leva-me de volta...

Leva-me de volta...

Publicado por Leticia às 10:23

link do post | comentar | favorito
|

Só quero voltar...

O dia está cinzento.
A névoa acolhe-me nos braços e aperta-me contra o peito como se eu fosse a única coisa que importava naquela manhã.
Caminho mais uns instantes, enterrando os pés na areia como se estivesse determinada a fazer alguma coisa. Mas não estou.
Fito o sol de um amarelo gelado, a esta hora ele ainda me deixa espiá-lo, e tentar chamar por ele. Os pés fogem para a água e eu sei que não há maior dor que a saudade.
O frio cortante faz arrepiar todo o meu corpo e dá consentimento para que as lágrimas se juntem ao mar. Elas vão, correm, umas atrás das outras sempre ao mesmo passo. A vontade que tenho de correr, de partir cresce. E a dor de saber que não posso dá-lhe a mão e agiganta com ela.
A minha vida, um drama, uma hipérbole… Só quero voltar para lá! Fazer o tempo andar para trás e viver tudo outra vez de maneira diferente. Não pensar duas vezes. Sentir-te e dar oportunidade a nós dois. Tentar ser feliz.
Quero voltar para o teu mundo, para o mundo que eu amo.
Mergulho e sinto a espuma de um sabor diferente mais doce, mais teu… Será que a esta hora lá de onde estas mergulhas assim, vestido e torturado como eu? Será que a manhã também te esgota? Será que também desejas acordar comigo?
Publicado por Leticia às 10:05

link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 19 de Agosto de 2007

Mais um dia, mais uma noite...

Mais um dia, mais uma noite sem te ter… Mais um dia, mais uma noite sem nem sequer lembrar o teu sorriso, sem submergir na luz do teu olhar… Mais um dia, mais uma noite sem o teu cheiro, sem a tua mão. Mais um dia sem poder chorar nos teus braços por saber que te vou perder, por saber que agora (ou nunca não sei) poderemos estar juntos. Mais uma noite com a certeza que a areia e mar que nos separa vai separar-nos para sempre. Mais uma manhã que só pedia por acordar noutro sitio, só mais uns quilómetros a sul… Mas acordar contigo do meu lado…
Publicado por Leticia às 18:37

link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 9 de Agosto de 2007

Ela...

Encontrou o amor muito cedo, quis ser feliz mas foi magoada. Vezes sem conta.
Traições atrás de traições, lágrima atrás de lágrima, dor própria de quem sente.
Era traída, chorava, doía e depois passava com o advento daquilo que julgava ser a sua salvação. Daquilo que esperava que a tirasse do poço, depositando toda a responsabilidade no outro, crendo que amar era aquilo: entrega, a seguir dependência e no fim solidão.
A esperança numa nova experiência era tanta, a expectativa crescia e vivia momentos de histerismo, uma alegria enganosa que já não cabia em si. Esta nova personagem na sua vida trazia a novidade, o que não era esperado, o mundo novo a sua frente. Deixava-se iludir, julgava ser para sempre e acreditava em cada palavra que se fazia ouvir. Não havia momentos de dúvida, muito menos de reflexão. Na verdade não havia realidade. Cada oportunidade era vivida no momento, valesse a pena ou não.
E o esperado aconteceu:
Sofreu como nunca a vi sofrer. O seu coração sangrava, pois as lágrimas já haviam acabado. Deu tudo e recebeu uma mão cheia de ódio. Era isso que sentia por si mesma. Ódio por ter pensado que o amor era isto. Que no amor não podia haver tempo, não podia haver espera. O tempo correu contra ela e chocou sem dó.
Desesperada por ter perdido a única pessoa que julgava ter amado. Mas na verdade era simplesmente o seu pilar, a sua subordinação, aquele a quem era totalmente obediente, custasse o que custasse. Chorou a sua perda durante tempo a mais. E depois reformulou-se e eu assisti como ninguém a essa transmutação.
Jamais mais foi a mesma, mas eu amparei-a sempre e ainda amparo. Mesmo sabendo que não era isto que ela realmente carecia.
Falseava ter certezas, falseava não se importar com nada, como se não se apegasse a ninguém, como se não significassem nada para ela. Simulava tudo, sempre. Nunca mais falou de sentimentos. Nunca mais.
Teve muitos amores seguidos, muitos até ao mesmo tempo. Era todos abreviados e em resumo eram apenas experiências. Alguns eram regulares, nunca consegui conta-los, mas os dedos das mãos e dos pés não chegavam para um mês da sua vida. Dava importância a moda, uma rapariga bonita e bem vestida sem dúvida. Inspirei-me muitas vezes nela.
Mas a noite só eu lhe secava as lágrimas e lhe dava o carinho que tantos amores não foram capazes de dar. Ela não dizia nada, deitava-se no meu colo e limitava-se a chorar pelo tempo que fosse preciso, devo confessar que, muitas noites, chorei com ela.
Eu nunca perguntei nada, porque sempre soube o motivo de tanta tristeza, de tanto desconforto, mas ambas tentamos esquecer. Ela não se sentia bem porque aquela nunca fora a sua vida, muito menos a vida que queria ter. Os verdadeiros amigos afastaram-se decepcionados e os novos, aproximaram-se em busca da sua tão famosa diversão. No outro dia, já com a máscara posta, a minha menina vivia a sua vida, repleta de tudo aquilo que a sua beleza exigia. Repleta de olhares provocadores, de pernas tentadoras e de decotes aliciantes. Ria, gargalhava todo o dia, a espera que afugentasse a tristeza e que esta desistisse dela, deixando na sua nova “paz”.
Passaram-se dois anos assim.
Os homens eram os seus melhores amigos, e ela incontestavelmente a melhor amiga de todos.
Faziam de tudo para estar com ela, mas nem era preciso muito. Ela era a confidente, a que estava a par de as fraquezas de todos, dos inconvenientes de todos. Mas só eu sabia das suas próprias fraquezas. Raramente falava dela. Ou melhor, raramente falava. Escutava todos os problemas com atenção e o seu olhar e só a ideia da sua atenção parecia ser consolo para todos.
Todas a detestavam, não tinha amigas. Invejavam a sua beleza e o seu sucesso. E, mais importante, o sua sabedoria sobre os homens.
Ela sabia exactamente do que precisavam e da altura em que precisavam, ficavam sempre em primeiro lugar na sua lista de prioridades.
Mas o amor estava esquecido aparentemente.
Numa das minhas visitas ao seu quarto para limpar os vestígios de novas “companhias” encontrei a folha amachucada do que parecia ser o seu diário.
 
«O meu objectivo é compreender o amor. Sei que estava viva quando amei, e sei que tudo o que tenho agora, por mais interessante que possa parecer não me entusiasma.
Mas o amor é terrível. Os homens (não os meus) não prestam. Quando penso em amor, a imagem que me vem a cabeça é de ele. A abandonar-me quando eu mais precisava, a deixar-me como foto no meu álbum de memórias um filho que, mesmo assim, também me abandonou.
Muitas me perguntam como é que consigo dominar tão bem os homens. Sorrio e fico calada, porque sei que o segredo e fugir do amor. A cada dia que passa, vejo com mais clareza como os homens são frágeis, inconstantes, surpreendentes… Até alguns pais de ex-amigas me fizeram propostas e eu recusei, Antes, ficaria chocada, agora acho que faz parte da natureza do homem.
Embora o meu objectivo seja compreender o amor, e embora sofra por causa de quem entreguei o meu coração consegui tirar uma conclusão de tudo isto:
Vejo que aqueles que me tocaram a alma não conseguiram despertar o meu corpo, e aqueles que me tocaram o corpo não me atingiram a alma.
 
 
Ela…»
 
 
Chorei…
Publicado por Leticia às 16:35

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Domingo, 22 de Julho de 2007

O teu olhar...

A simplicidade de um olhar...

A janela do coração. É de lá que as lágrimas fogem, sinónimo de tudo aquilo em que acreditas. Ou tudo aquilo em que acreditavas e por alguma razão, superaram as expectativas ou desiludiram-nas...

É o que mais ri.

É o atalho para a alma.

É a maior fonte de luz.

A sua complexidade...

A sua profundidade...

Tudo aquilo que consigo saber só por um olhar teu…

Há quem o comparece com a Lua, com o Sol, quem sabe com o azul do céu…

Mas eu não…

Desculpa, mas não consigo.

O teu olhar para mim é tudo.

Não existe Lua nem Sol, nem céu.

Só ele me preenche e me dá vida.

Só ele me faz feliz.  

E de todo o mistério que esconde, de mim já não poderá esconder mais, eu já conheço o teu olhar...

Só a falta dele me causa este aperto.

Será que o vou ter para sempre?

Será que vou puder guardá-lo para sempre?

Queria ter uma amarra que o prendesse.

Uma caixinha suficientemente segura para o preservar.

Dizes que já tenho!

O meu pobre e modesto coração!

Vai lá estar para sempre, pois sem ele já não consigo.

A dependência já e forte demais.

O meu maior vicio: Lutar por tê-lo sempre ao meu lado…

 

Publicado por Leticia às 15:20

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Terça-feira, 17 de Julho de 2007

Nao partiras de mim !

Escalo novamente para o telhado, na expectativa de que a Lua, nesta noite, não me gele tanto.

Sento-me nas telhas enlameadas e tão desconfortáveis. Admiro a diferença que me fazes. Um dia, estas telhas haviam sido o meu local preferido. O mais quente, o mais aconchegante, o que mais me acarinhava. Um dia, a tua ausência não era tão forte, o vazio não era tão cheio, não era deste tamanho…

O vazio preenche esta noite onde a lua chora comigo. O seu olhar compreende-me e acalma-me.

A brisa só me traz o teu perfume. O perfume que será motivo de tanta carência.

Ainda não foste e as lágrimas caem cada vez que penso que irás. A tristeza fugiu do meu controle e voa sem parar, foge do coração apertado, esmagado, e corre para os olhos.

Só de imaginar que o teu toque… Que o teu toque vai deixar em mim esta solidão que me asfixia minuto a minuto. Não é o teu toque, é a falta dele!

Deixo que o frio se habitue a mim e me aceite como parte dele. Peço que a noite não me traga mais dor, pois o meu coração dói, arde e sangra por ti.

Só queria poder controlar a marcha do tempo, que estes momentos fossem imortalizados, perpetuados e aqueles, aqueles em que vais estar tão longe, fossem-se sem eu notar.  

Quero-te tanto. Imploro pelo teu calor, pelas tuas palavras, pelas tuas expressões. Por tudo aquilo que me faz feliz…

 

Amo-te!

Sei que tens de ir...   mas só peço que não vás de mim... És tudo! E não tenhas medo, que vou ser sempre tua! Eternamente!     Nem que se passem... muito mais do que vão passar! Tua para sempre...

Amo-te, não te esqueças!

Sinto-me: Amada!
Publicado por Leticia às 18:04

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Segunda-feira, 9 de Julho de 2007

...

Opah, o meu amor e' um mau...

Nao me deixa dar o endereço do blog a vcs... TIRANOOOO!!! Sim, mor, se tas a ver isto fica ja sabendo que es um tirano!!!

Mas eu tenho de cumprir... :'(

Se nao levo castigoo...   LOL

Fiquem bem... @

E ja' agora mor...  Amo-te muittoooo

Apesar de seres um mauxinho!!!... (L)

Publicado por Leticia às 22:05

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Sexta-feira, 6 de Julho de 2007

BLOG!!!

Vou vos contar um segredo...

Eu e ele vamos criar um blog novo!!!...

mas mantenham o segredo e agora so desejo uma chuva de comments!!!

Mas xiiu e eu logo dou o site... @

Sinto-me: TOTALMENTE felizz'
Publicado por Leticia às 21:31

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Quinta-feira, 5 de Julho de 2007

passado...presente...FUTURO!

... Sinto a tua falta...

...Onde andas tu, minha inspiração? Queria tanto ver-te!

Mas afinal o que é o presente? Não será o presente o mais diminuto e o mais conciso de todos? Não dura mais que um momento.

Não falo em anos, meses, horas, minutos, segundos, falo em momentos...Pois um momento pode durar meses e até anos, ou apenas segundos...

Quando dizes que para nós não há presente, só nos nossos corações, não me entristeces. O futuro promete muito mais. Claro que o futuro pode ser daqui a 3 ou mais anos ou amanha! Eu só espero por um amanha diferente, ou igual, aquele passado que já me deste…

Amo-te, muito mais do que um dia imaginei amar alguem…o presente não é nada para nós!

E ve lá se comentas com um textinho teu!

 

Sinto-me: esquece lá isso...
Publicado por Leticia às 13:03

link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 4 de Julho de 2007

Obrigada...fazes-me tao bem!

Já conheço os passos desta estrada,
Sei que não vai dar a nada,
Seus segredos,
Sei de cor…
Já conheço as pedras do caminho,
E sei que não vou ficar sozinha,
E se ficar,
Tanto pior…
O que e que eu posso
Contra o encanto
Desse amor
Que eu nego tanto
Evito tanto
E no entanto,
Volta sempre a enfeitiçar,
Sempre no mesmo lugar,
Mesmo em cima do coração.
Com os seus alegres factos,
Que em mim, álbum de retratos,
Teimo em coleccionar
Nos dias tristes,
Noites claras,
Versos…cartas…
E ainda volto a escrever
Para dizer
Que isto não e pecado,
E eu que trago o peito tão marcado,
De lembranças do passado,
Que só quero esquecer…
Vou coleccionar,
Mais um soneto,
Outro retrato a branco e preto,
Que vai ganhando cor,
A maltratar,
Meu coração…
Mas sem esquecer,
O quanto devo agradecer,
Esta felicidade pura,
Que só o teu amor cura,
Amor embrulhado em paixão…
Sinto-me: Feliz, como seria de esperar!
Publicado por Leticia às 12:19

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Adão e Eva...

Olhámo-nos um dia,

E cada um de nos sonhou que achara,

O par que a alma e a carne lhe pedira…

Entre nós dois,

Se deu, depois, o caso da maça e da serpente,

…Se deu e se dará continuamente,

Na palma da minha mão,

Te ofereci, e tu mordeste, o fruto do pecado,

O teu nome é Adão…

E em que furor sagrado,

Os nossos corpos desejosos

Como serpentes se enroscaram,

Tentando, fundir-se num só!

Os beijos angustiados e ruidosos

Que as nossas bocas atiraram,

Sobre um leito de terra, cinza e pó!

Ó abraços que os braços apertaram,

Dedos que se misturaram, entrelaçaram!

As linhas fortes do teu corpo,

Os nosso olhos muito perto, imensos

No desespero do abraço mudo,

Confessaram tudo!

E assim, Adão e Eva se conheceram:

Conheci a força dos teus pulsos,

Gloria em meu ser,

Os recantos e encantos da tua humanidade,

A grandeza do amor fiel,

Eu e os versos convulsos,

O meu poder,

A minha fragilidade,

Os sinas da minha pele,

Paciente pela tua…

Depois…

Depois, o quê? Depois mais nada.

-Que Deus possa perdoar,

E os Arcanjos nos possam juntar,

Numa união de fidelidade,

Misturando este amor de verdade,

A força de dois corações…

Sinto-me: .....
Publicado por Leticia às 11:50

link do post | comentar | favorito
|

Adormeço...

Adormeço,
Embalada na paz,
Em tanta complexidade,
Esqueço a desarmonia fugaz,
E tento encontrar a verdade,
Escondida em mim…
Peço,
Que a noite me traga descanso,
Que o nosso amor dure para sempre,
A noite,
Ao começo,
Não me mente,
Começam também as linhas de lembranças,
Correm como crianças,
Não me deixando dormir…
Roubam-me um sorriso,
O mais doce, o meu terno,
Tirado de improviso,
Deste paraíso eterno…
Sinto a pureza,
Meço a intensidade,
A leveza do teu toque…
Desconfio da realidade.
Deixo que haja espaço,
Para tudo o que é importante,
O meu desejo,
Ordem de despejo,
Para a tristeza um dia habitante…
Sinto-me: como nunca me sinti!
Publicado por Leticia às 00:59

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Terça-feira, 3 de Julho de 2007

O meu novo caminho...

Julgo carecer de um caminho,
Que não me impeça,
Que não me esconda,
De um caminho em que te ache sozinho,
De um percurso que não me esqueça,
Que me responda,
Peço,
Porque há algo que me afasta,
Das Incertezas, duvidas, do insucesso,
Porque um rascunho, só, não basta.
Quero seguir os meus instintos,
Quero dirigir, orquestrar, fantasiar,
Quero ter sonhos distintos,
Onde seja permitido sonhar,
Suplico,
Quero deixar de ter medos,
Quero abrigar-me, recolher-me,
Quero partilhar segredos,
Quero jurar-me, prometer-me,
Que vou seguir este caminho…
Publicado por Leticia às 20:29

link do post | comentar | favorito
|

Palavras...

Como e possível não te amar?
Como e possível resistir?
Como e possível deixar,
Esta palavra fugir?
 
Amo-te…
 
Só quero poder dizer,
E quero que me possas ouvir,
Que o maior prazer,
E saber que te faço sorrir…
 
Adoro-te…
 
Com o passar do tempo,
Aquele tempo já tão falado,
Alguns momentos esbatem-se,
E outros acentuam-se,
Os tristes ganham vida,
São recordados por segundos,
Mas a vontade de esquece-los e maior,
Os sorrisos sem motivo,
Sintoma da tão famosa felicidade,
Nunca deixou que o tempo,
Destruísse o amor de verdade.
 
Desejo-te…
 
És,
Refugio do mundo,
Que me abriga de tudo,
O coração bate no fundo,
Chama as palavras,
Como se fossem necessárias…
E as palavras falam,
Tentando esquecer situações precárias,
Um dedo cala a boca,
Mas o coração não cala,
Fala,
Agora a tentar levantar-se,
Levanta-se e ama-te mais…
E percebe que as palavras falaram demais…
Mas foram incapazes de dizer,
O quanto te desejo...
 
Não existem palavras que saibam descrever o quanto te amo, o quanto te adoro, o quanto te desejo…
Sinto-me: E mm preciso dizer? Amo-te
Publicado por Leticia às 15:34

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Domingo, 1 de Julho de 2007

Angustia...

Cansada de compor sobre a angústia.
Cansada de a cumprimentar todas as manhas e rezar para que esgote à noite. Cansada de um só cansaço que a angustia me cede.
Cansada de tudo e de nada.
Cansada de me aglomerar no turbilhão do tudo e cansada de esperar no vazio do nada. Cansada de pedir calma a mim mesma. Cansada de me controlar, de emudecer o grito que pede para se fazer escutar, de me fazer tensa quando a vontade e descontrair nos teus braços.
Cansada de considerar sobre os pensamentos. Cansada do silencio. Cansada da  mágoa, da dolência, do sufoco. Cansada de não ver a luz do dia e só as nuvens que acompanham o sol.
Cansada de chorar. Cansada das súplicas que suplicam, que regressam e que me trazem só mais fadiga.
Cansada do frio da cama gelada, onde me oculto e me camuflo do mundo. Lá onde só a angustia me conhece, onde só ela me faz companhia. Onde ela é a minha única parceira. A única que conversa comigo, me abraça no escuro e depois, depois quando os meus olhos já não suportarem maior desespero, quando o coração já não conseguir ser mais apertado, quando a alma já não tiver força despreza-me e repudia-me no vazio daquela casa, onde um dia fui feliz…
(nem sei porque escrevi isto porque estou muito feliz mas, ha dias assim, espero eu!)
Sinto-me: normal...felicidade normal
Publicado por Leticia às 23:07

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quinta-feira, 28 de Junho de 2007

Reflecçao.

Vivo a vida que não tenho.

Choro a tristeza que não tem motivo.

Passeio-me por caminhos imaginários e escrevo letras que o abecedário não conhece.

Pergunto e ninguém responde.

Espero e nada acontece.

Luto por tudo e conquisto nada.

Tento que o negro fique claro mas o negro esconde-se de mim na escuridão .

Cheiro flores já secas e gosto.

Aprecio paisagens decadentes e ignoro o melhor pôr-do-sol alguma vez visto.

Tento compreender coisas que nunca compreendi.

Esforço-me por crescer e por me fazer entender e ser respeitada mas o esforço e inútil e tudo regride.

Esqueço momentos que nunca aconteceram.

Quero cair mas não há de onde.

Quero compreender o significado de reflectir mas não consigo,  não há tema.

De repente, ele chega e a tudo muda:

Agora, viver a vida e o mais importante e aquilo que me da mais prazer.

Chorar? Só se for de alegria, pois as lágrimas foram proibidas de visitar o exterior.

Passeio-me pelos caminhos que mais gosto e só escrevo aquilo que sinto e tu sentes comigo e fazes-me companhia durante o passeio .

Pergunto e tu respondes, dizes que me amas.

Espero e o beijo cala-me mesmo antes de acabar de perguntar.

Luto por tudo e a vida oferece-me o dobro.

Aceito o negro como negro e já não o associo à escuridão .

Cheiro as flores do ramo que me ofereceste e elas prometem nunca secar.

As paisagens decadentes, para mim, são belas e o pôr-do-sol o melhor espectáculo onde tu e eu classificamo-nos de espectadores.

Tento compreender cada vez mais situações e ajudar, por muito que não entenda.

Deixo que a vida me faça crescer e entendo e respeito os outros para que me entendam e respeitem a mim, mesmo que seja difícil , mas com a tua ajuda tudo se esbate...

Nao esqueço nada, lembro momentos difíceis para que não se repitam e os felizes, os que vivo agora, para que se repitam vezes sem conta e me alegrem cada vez que me lembrar dos tristes.

Posso cair, a altura assusta-me, mas tu proteges-me e se for preciso caímos juntos estou nas nuvens!

Já compreendo o significado de reflectir, não por inteiro mas prometemos descobrir juntos...

 

AMO-TE...mudas-te a minha vida!!!

Sinto-me: SO HAPPY!!!
música: I´m so happy!!!
Publicado por Leticia às 20:38

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Vontades...

As vezes, gostaria que o tempo passasse a velocidade diferente.

Gostaria de poder sair da minha vida e observa-la de fora.

Gostaria de poder fazer as escolhas sem medo de Errar e de magoar alguém .

Gostaria de ser tudo aquilo que querias que eu fosse.

Gostaria de fazer tudo aquilo que querias que eu fizesse.

Gostaria de ser forte com queria ser.

Gostaria de ter a independência que queria ter.

Gostaria de pegar em mim e em ti, e não  fugir, ,mas ir para onde quisesse sem ter nada nem ninguém que me prendesse a onde pertenço ou julguei pertencer.

Gostaria de ser livre.

De poder sair sempre que me fosses buscar sem ter que justificar tudo o que faço, mas no fundo ambos compreendemos o porque.

Gostaria de ser aceite sem condições .

Gostariade definir a minha vida sem ajuda.

Gostaria de ter as minhas próprias definições : gostava de saber exactamente o que me faz feliz, triste e o que me assusta.

Gostaria de arranjar solução para tudo.

Gostaria de te amar como tu desejas e não como amo.

Gostava de ser aquilo que te faz ter coragem para enfrentares mais um dia;

O motivo de todas as tuas disposiçoes, e de todas as tuas expressoes.

Gostaria que as pessoas me associassem a ti cada vez que te lembrarem.

Gostaria de ser aquilo em que mais pensas, de que mais falas, que mais desejas.

Gostaria de ser o conforto, a segurança e ao mesmo tempo a aventura e o risco,

Gostaria de não me arrepender de nada.

Gostaria que não te arrependesses de nada.

Gostaria de ter tudo aquilo que gostava e poder se calhar um dia substituir o gostava pelo gosto...o condicional pelo presente...

Gostaria que os "ses" acabassem...e as reticencias tambem...

 

GOSTO DE TI!

E GOSTO de ser FELIZ contigo!

GOSTO de saber que aina existem duas certezas na minha vida!

Sinto-me: feliz com as duas certezas!
música: nao ha nenhuma que defina o vddeiro amor!
tags:
Publicado por Leticia às 19:11

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Eu & Ella!

Caminhamos juntas e entramos para o sitio do custume, monumento desperso do Universo que nao lhe admite o seu verdadeiro valor. Acho que ainda  ninguem o verdadeiro valor da familia. A unica coisa que temos como nossa e sabemos que nunca nos pode deixar. Seguimos as pegadas inivisiveis que nos guiam para o TUDO.

Juntas andámos e juntas andaremos. Porque em pequeninas corriamos campos cheios de flores e coisas maravilhosas e agora com o tempo a passar não vamos deixar de cometer loucuras!

Confidencias, segredos contados ao mundo que nos fazem sentir ouvidas e compreendidas. Intercambio de conselhos e sorridos, de vidas e caminhos partilhados onde uma faz sempre parte da outra. Semelhanças, enredos de esta grande tele-novela...das nossas vidas ofertas sem pedido de resposta.

Caminhando de estrela em estrela, de nuvem em nuvem, de pedra em pedra até chegarmos aquele tal sitio que à tao desejado, para podermos realizar tantos sonhos e praticar tantas novas coisas. Porque há ainda tanta viagem até aquele lugar maravilhoso, porque sempre juntas vamos estar e aquele maravilhoso sitio chegar, com o suor a escorrer e fridas ainda por sarar mas sempre muito felizes e com um enorme sorriso na cara!

Aventuras, correrias e investigaçoes.

Memorias de tempos considerados infantis que nao sao assim tao longe no passado. Noites de crescimento e aprendizagem. Liçoes de moral, de civismo e de muita diversao...Porque este e o ponto que mais nos liga, que masi nos faz querer estra juntas...O quanto nos divertimos juntas!

 

Sinto-me: Bem com ella!
música: a musica da nossa amizade...@
Publicado por Leticia às 14:50

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Terça-feira, 26 de Junho de 2007

Naquela casa...

Vou caminhando descalça pelo chão frio do nosso passeio, da estrada que construimos. Oiço a musica, a melodia da nossa historia, olho-te sentado no mesmo chão que piso, tentando encontar algo que te aquecesse.

A sombra da tua camisa, a unica coisa que tenho vestida, desperta a tua atençao. Olhar desejoso, esperançoso de que seja eu aquela tua miragem do possivel futuro que te preenche o presente.

Sento-me contigo e o frio torna-se quente e o nevoeiro torna-se apenas o descanso de um sol radioso. O coraçao bate e nos somos felizes. Envolves-me naqueles braços fortes a que ja me habituei. Habituei-me aos beijos encharcados no amor que vai sendo lapidado e alegria que me fizeste alcançar no antes, no agora e no depois.

Pois o futuro pressegue-nos e nunca para de chegar, de passar por ti e por mim e de formar uma amanha diferente, ou igual dependendo da nossa vontade. 

Em cada segundo lá estas tu: Mimando-me, acarinhando-me, nunca me deixando pensar sozinha, apresentando-me o mundo no seu melhor, mas deixado-me ser livre, deixando-me escrever a minha propria historia, ser tudo aquilo que eu sempre quis...ser...

TUA!

Sinto-me: segura...feliz...
Publicado por Leticia às 22:41

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Segunda-feira, 25 de Junho de 2007

Documento das horas vazias, horas sem titulo...

O tempo mostra-me que a palavra precipitação e um erro.

E que nada acontece por acaso.

Mostra-me que se nao fosse a tal precipitaçao o tempo já nao era o tempo que conheço.

Pois, o tempo, para mim, é unica e simplesmente uma liga de momentos que se unem cronoligicamente e fazem com que seja necessario saber o que é o antes e o depois. Contigo o tempo e cheio, recheado, de uma sequencia de vazios multiplos, multiplicados pelo numero infinito do meu desejo, que o meu tempo seja o nosso tempo!

Mostra-me que sem estes erros precipitados o teu tempo nunca seria meu. E o tempo era obrigado a ser distinto, separado para cada um de nos, mas engana-se porque nos somos um so, uma so palavra, um so sentido, um som modo de compreensao, nós.

E nós fariamos, mesmo assim, que o tempo tivesse outro significado que nao o de um fenomeno que nao se controla, que corre contra nós, porque ate a favor do tempo nos lutamos...

Momentos só se chamam momentos se forem passados contigo.

Mesmo que o longe seja perto, o tempo para nós nunca foi sinonimo de distância.

Proibiçoes baseadas em teorias temporais.

Silencio gritado pelas nossas almas com receio de que o tempo corra e que o silencio permaneça por muito tempo.

Mas o som da batida dos ponteiros relogio emocional quebram o silencio...

Pedem que o tempo desapareça e nos deixe editar o significado de tempo...sem que o tempo interfira! =') 

 

Vamos tentar arranjar uma melhor definiçao para esta palavra...? adoro-te...

 

Sinto-me: filosofica...mas nao sou!
Publicado por Leticia às 21:59

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

O fim da tarde, amado-o...

Ela lembra-se das vossas conversas, viaja ao passado de á minutos e sorri!

Mira-te, a imagem presa na sua mente e encara-te como o seu futuro.

Senta-se na cama e põe a vossa musica alta como quisesse anunciar o vosso amor a todo  o mundo. Como é bom saborear os vossos beijos no replay.

Abre a janela e a noite cumprimenta-a. Nao a noite triste de outrora mas a noite colorida de que voces tao falam. A noite nao é mais solitaria, as ruas nao estao mais vazias, entao simplesmente a vossa espera.

Olha para o ceu e foca a estrela mais brilhante, lembra-se dos tempos em que ficava horas a pedir desejos a sua estrela e, agora repete o procedimento afinal, os desejos foram sempre ouvidos. Pede que tu sejas sempre o seu anjo, aquele que ela mais ama, aquele que a faz a mais feliz.

A aliança ganha um brilho semelhante ao da estrela e ela atende aquele sinal como uma resposta. Um sim que ela ira sempre guardar e lembrar cada vez que olhar para o ceu...

Saudades tuas...    e da estrela...

Sinto-me: compreendida...feliz
música: Juanes- pra tu amor
Publicado por Leticia às 14:52

link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 24 de Junho de 2007

Saudades tuas...=')

(saudades nao quer dizer que estamos longe mas sim que um dia estivemos juntos...@)

 

SINTO A TUA FALTA...

 

FALTA dos Invernos,

em que só ele me aquecia,

FALTA doa cadernos,

onde só o nome dele escrevia,

FALTA das pinturas,

do cabeleireiro,

FALTA das loucuras,

em que gastavamso dinheiro.

FALTA dos sossuro,

do apoio,

FALTA do abraço,

da caricia,

FALTA do espelho,

do seu olho,

FALTA das palavras sem malicia...

FALTA do telefone,

das vivencias,

FALTA das mensagens,

das clemencias,

FALTA do amor,

da paixao...

FARTA da escuridao,

FARTA das ausencias...

 

AMO-TE....MUITO MESMO!

 

Sinto-me: HAPPY...AND LUCKY...!
Publicado por Leticia às 21:16

link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 23 de Junho de 2007

Momento maravilhoso...

Cabelo molhado sobre as costas nuas...

Maos enormes entrançam-no com carinho sempre presente. O peito e aqueido por elas que cuidadosamente o acolhem.

Ombros fortes, pele macia e abdominais mais que definidos encostam-se deveagar ao peito nu e respiram no mesmo ritmo daquela musica que ambos os coraçoes cantavam. O coração bate e pede a mesma coisa. Amor. Labios grossos unem-se com os finos e linguas abraçam-se. Ela deseja-o e deixa-se levar...Os dedos passeiam-se pelo seu pescoço e a lingua volta ao seu trabalho. Entre suganços e mordidelas ele msotra o quanto a ama. Demonstraçoes fisicas que ela admira e para a qual faz questao de contribuir. Manobras sinuosas que o tiram do serio, ama-a tanto e nao pressiona nada... Ela, ingenua como sempre foi, faz tudo certo e o romantismo acompanha-os sempre.

Eles deixam que o fascinio que tem um pelo outro os consuma e o Amor toam conta dequela noite, e deixa o resto por sua conta.

Ele vasculha cada canto e faz com que cada segundo seja inesquecivel, o home da sua vida, com certeza.

Ela relembra, feliz, cada momento daquela relaçao que resume a vida dela e a entrega e completa.

Silencio...

Amor...

E um segundo Ele nasce e ela continua ingenua, romantica mas masi feliz,tao masi feliz!

A pureza do seu coraçaoe indubitavel...

Pois a pureza, a pureza verdadeira e de coraçao, que nada tem a ver com o que acontece quando se faz a vontade do coraçao.

Dois coraços que se uniram num so, que nunca se vao deixar separar, a fusao e demasiado forte...

Eles ama-se mais que tudo...

E lindo!

Sinto-me: in love...
música: Une chance - Marcia
Publicado por Leticia às 12:11

link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 8 de Junho de 2007

Qual é o preço da realidade?

Mais um sonho contigo,

até julguei ser verdade,

um sonho fugido,

escapado,

da mão da realidade...

Saudade,

vida exausta de te procurar,

vontade,

a que me move para te resgatar...

Qual o preço do resgate?

é gratis?

ou cobra-me lagrimas aos pacotes,

serao confetis?

que lançarei quando viver o meu sonho contigo...

Sinto-me: com saudades...
Publicado por Leticia às 12:07

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Quinta-feira, 7 de Junho de 2007

Vamos falar...

Falar de uma amor suave e magico, como uma pena que toca o corpo de uma virgem...

Falar de ti e de mim.

Falar de nos, amor.

Vamos esquecer que nos afastaram, e lembrar que nao deixamos de nos amar.

Vamos falar daquilo que nos faz felizes.

Vamos falar de tudo aquilo que me fazer sentir, das lagrimas que choramos m pelo outro, do destino que nos une e que nao nos deixa fugir.

Vamos falar das vezes que o teu coraçao bate e já nao escontras silencio porque so o ouves....

Vamos falar do que sentimos quandos as nossas almas e os nossos corpos se uniram e me ofereces-te um beijo, presente do Céu...

Vamos falar da minha vida sem a tua, uma morte imediata!

Vamos falar da entrega, dos nossos coraçoes, da mudança das nossas vidas, dos sacrificios que fazemos um pelo outro.

Vamos falar da vida que partilhamos e das confidencias...

Vamos falar da amizade, do amor, do carinho, do desejo que nos une e nos separa de tudo o que é futil e sem significado...

Vamos falar de como me mudaste, de como sou feliz, de como estou diferente contigo...

De como te AMO...

Sinto-me: Bem...
Publicado por Leticia às 11:52

link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 6 de Junho de 2007

Nuvem...

Nuvens encobrem os meus olhos,

um nevlina que arrefece a minha pele,

caminho no escuro,

escuto o som do mundo,

a girar,

triturando a luz do dia,

e a magia dos sonhos...

Ainda respiro,

tranpiro,

a desejar,

de forma vaga,

que o sol me traga,

o calor, que acabe a dor,

que me aperta o peito,

desaba nos meus olhos,

o veu da tristeza,

tornar, distorcer,

em pedaços,

sei que vou esquecer,

sonhos infantis,

precoce é o meu ser,

pressoes hostis,

que inibem o calor,

no fogo da paixao,

uma combustao que nunca acaba,

nao vai perdendo,

escoando,

e a minha ao vento...

Grita por ti!

Sinto-me: melhor...
Publicado por Leticia às 11:36

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
21
23
24
25
27
28
29
31

.posts recentes

. ...

. Lá do alto...

. O rio...

. Leva-me de volta...

. Só quero voltar...

. Mais um dia, mais uma noi...

. Ela...

. O teu olhar...

. Nao partiras de mim !

. ...

. BLOG!!!

. passado...presente...FUTU...

. Obrigada...fazes-me tao b...

. Adão e Eva...

. Adormeço...

. O meu novo caminho...

. Palavras...

. Angustia...

. Reflecçao.

. Vontades...

. Eu & Ella!

. Naquela casa...

. Documento das horas vazia...

. O fim da tarde, amado-o.....

. Saudades tuas...=')

. Momento maravilhoso...

. Qual é o preço da realida...

. Vamos falar...

. Nuvem...

.arquivos

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

.tags

. todas as tags

.favorito

. Última Deixa.

. Diário...01/06/07

blogs SAPO

.subscrever feeds